QUEM SOU

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
MA FERREIRA, mulher, mãe, esposa, pedagoga por formaçao, ceramista de coração. Amante da vida e das artes. Acredito que somos a mudança que queremos no mundo. Sou uma pessoa que acredita nas pessoas e na construção de um mundo melhor. Acredito que cada pessoa está onde deveria estar. Acredito que estamos na terra para evoluir. Acredito que o ser é muito melhor que o ter. Acredito numa força divina. DEUS!!!

Seguidores

BLOGS QUE PARTICIPO

  • www.mdfbf.blogspot.com
  • www.ceramicaconteporaneabrasileira.blogspot.com
  • contato: mdfbf@uol.com.br

sábado, 28 de maio de 2011

FLORES E APLAUSOS A MILENE!


Escolhi esta peça, que apenas pintei, usando o esmalte preto brilhante nos desenhos. Argila Branca ao fundo, natural, sem adição de esmalte. Escolhi esta peça por um simples motivo: a Milene Lima é BOTAFOGUENSE!

Este post é a integra da um texto postado pela minha amiga e seguidora Milene Lima, do blog http://petalarrosadinha.blogspot.com, no dia 25/05, intitulado MISSIVA EM DESAGRAFO.

Abaixo eu explico os motivos que me levaram a repeti-lo em meu blog.
Coloco também no final, para as pessoas que não viram, o link do video que originou o texto.


Senhores Parlamentares,

Inicio essa missiva com o sincero intuito de que estejam tendo dias absolutamente tranqüilos, inabaláveis à tempestade provocada pela moça da palavra afiada, a tal Amanda Gurgel. Empenho nesse momento minha total solidariedade a vocês, meus amigos... Posso chamá-los assim, não é? Afinal temos uma relação de imensa confiança e companheirismo, por isso me sinto à vontade para tratá-los com tamanha intimidade.

Proponho tentarmos juntos buscar a compreensão acerca do ato intempestivo dessa professora. Como ela foi capaz de afrontá-los daquela forma? Moça mais extremista, concordam? Apenas porque sua rotina deve ser um tanto dura, tendo que sair cedinho de casa, enfrentar transportes cheios, encarar turmas superlotadas, desmotivadas... Só porque repetem o mesmo processo até três vezes ao dia, fazendo uma tripla jornada de trabalho... Só por terem que perder finais de semana corrigindo trabalhos, aprontando diários de classe... Só por viverem nessa ciranda maluca, sem tempo pras suas famílias... Por não terem o mínimo estímulo e tempo pra se dedicarem à leitura, fator determinante pra um bom desempenho em sala de aula... Só por isso? Quanto exagero!

A professora da palavra afiada se queixou do salário recebido pela categoria, meus amigos. Disse que no seu holerite consta um número de apenas três dígitos, inclusive dos profissionais com especialização. Pelo que pude entender, depois de ter cursado a faculdade, apesar das adversidades, buscam se aperfeiçoar na profissão para desempenhar sua função com mais propriedade... São anos de estudo intenso paralelo ao trabalho, objetivando uma maior tranquilidade salarial, então eles ficam zangados quando seus propósitos caem por terra.

Mas isso seria motivo suficiente para tanto destempero, para essa perseguição desmedida a pessoas tão bem intencionadas? Quanta audácia a proposta para que tentassem sobreviver por um mês com o tal salário de três dígitos. Com a imensa humildade de vocês, sei que tirariam de letra. Isso não implica dizer, porém, que seja injusta a remuneração dos nobres ocupantes das cadeiras das assembléias Brasil afora. A moça destemida deveria levar em consideração o quanto lhes foi sacrificante chegar aonde chegaram. Foi preciso convencer a todos nós de que votar nas suas legendas era a nossa opção mais inteligente, embora alguns de nós não tenhamos oferecido tanta resistência nesse convencimento. E depois de eleitos, há de se fazer justiça ao esforço tremendo nessa penosa jornada de trabalho de terça a quinta-feira. Eu aqui me canso só de imaginar tamanho esforço. Além disso, há o cansaço moral, não é? São obrigados pelas circunstâncias das leis criadas por vocês mesmos a fazerem uso do tal auxílio moradia-combustível-passagem-aérea... Imagino o quanto é constrangedor. Sei que se pudessem não o fariam.

Essa moça deve compreender e enaltecer o apego que os deputados tem ao seu cargo. E analisando pelo ponto de vista salarial, da carga horária exaustiva, além dessas vantagens um tanto amorais, fica difícil entender como tantos querem estar nas tais cadeiras.

Em outro aspecto ela também foi injusta com a classe parlamentar: pegou os meus amigos de surpresa e isso não se faz. Vocês estão acostumados com os embates mais densos, as agressões verbais, mas ela chegou tranquila, tomou pra si a palavra e o fez como quem sai numa valsa pelo salão. Não alterou jamais a voz e os fez silenciar. Ela os deixou sem argumento e não é certo agir dessa forma contundente com pessoas tão articuladas e lisas.

Será que essa comoção em torno do discurso da professora resultará em algo significativo? Não se preocupem, meus caros. Pessoas com a determinação e lisura de vocês nada tem a temer. Durmam o sono dos justos e puros, com a sensação de estar fazendo pela população tudo aquilo proposto pelo seu cargo. Sabemos que sempre tomam as melhores decisões... em causa própria. Mas se não fizerem por si, quem o fará, não é mesmo?

Para o caso de alguém ainda não ter visto o pronunciamento da professora, deixo aqui o link para que se veja o quanto ela foi insolente ao proferir verdades indizíveis a seres de alma genuína e rara conduta profissional.

Meu abraço solidário,

Milene Lima

Link para o video da Professora Amanda Gurgel:
http://youtu.be/yFkt0O7lceA


Este texto da Milene me impressionou, não pelo tema, pois eu ja tenho lido a respeito e me solidarizo com a causa, mas pela escrita perfeita, digna de ser puplicada em grandes revistas de circulaçao.
Esta é a minha opinião..e quis compartilhar com voces o belo. A BELEZA DE UM TEXTO.
Você Milene, tem o DOM DA ESCRITA. Cuida bem dele.

Blog da Milene: http://petalarrosadinha.blogspot.com/

Por Ma Ferreira