QUEM SOU

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
MA FERREIRA, mulher, mãe, esposa, pedagoga por formaçao, ceramista de coração. Amante da vida e das artes. Acredito que somos a mudança que queremos no mundo. Sou uma pessoa que acredita nas pessoas e na construção de um mundo melhor. Acredito que cada pessoa está onde deveria estar. Acredito que estamos na terra para evoluir. Acredito que o ser é muito melhor que o ter. Acredito numa força divina. DEUS!!!

Seguidores

BLOGS QUE PARTICIPO

  • www.mdfbf.blogspot.com
  • www.ceramicaconteporaneabrasileira.blogspot.com
  • contato: mdfbf@uol.com.br

sábado, 7 de maio de 2011

V E R D A D E






A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

Carlos Drummond de Andrade



Este poema do Carlos Drumomond de Andrade, é um dos meus preferidos.
Me fez refletir sobre a verdade.
Por muito tempo eu achava que a verdade era unica. Não creio nisso hoje.
Existe a minha verdade, a verdade que as minhas crenças me fizeram acreditar, a verdade de acordo com minhas experiencias de vida.
Só que o outro não passou pelas experiencias as quais eu passei. A verdade dele, pode ser diferente da minha, o que não deixa de ser verdade.
Tema bem polêmico este.
Mas hoje, por conta de pensar assim eu vivo mais em harmonia. Não julgo a verdade de ninguém.
Fico quietinha..com a minha. Não entro em embate.
Não quero dar a impressão de ser passiva, boazinha. Porque não sou. Defendo minhas crenças e opiniões. Mas levo isso em consideração, antes de tirar qualquer conclusão.
Esta foi uma das lições que aprendi no Brahma Kumaris.

A peça ceramica foi modelada em placa e usei toalha de croche como uma espécie de carimbo, para fazer os desenhos e ficarem
com relevo. Na pintura usei um El da Mayco, com um pouco de SC diluido em água.


MA Ferreira