QUEM SOU

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
MA FERREIRA, mulher, mãe, esposa, pedagoga por formaçao, ceramista de coração. Amante da vida e das artes. Acredito que somos a mudança que queremos no mundo. Sou uma pessoa que acredita nas pessoas e na construção de um mundo melhor. Acredito que cada pessoa está onde deveria estar. Acredito que estamos na terra para evoluir. Acredito que o ser é muito melhor que o ter. Acredito numa força divina. DEUS!!!

Seguidores

BLOGS QUE PARTICIPO

  • www.mdfbf.blogspot.com
  • www.ceramicaconteporaneabrasileira.blogspot.com
  • contato: mdfbf@uol.com.br

sexta-feira, 3 de junho de 2011

UDU E UMA HISTÓRIA DE AMOR



Esta peça foi confeccionada no torno, e recortada manualmente. Na pintura usei dois tons de esmaltes. Queimei em alta temperatura, 1.200 graus.

imagem de um udu original


Video do instrumento sendo tocado


Esta experiencia que vou relatar é uma das alegrias que a ceramica me trouxe.
Um dia alguém me perguntou, voce sabe o que é um UDU? Eu disse que não. Pesquisa..acho que vc vai achar interessante, me disseram.

Pois bem, recorri ao santo google e obtive a seguinte definição: udu é um instrumento de percussão de origem africana criado pelos povos Igbo e Hausa da Nigéria. Na sua língua natural, udu significa "paz" ou "vasilha".

Para todos os efeitos, trata-se de uma peça de cerâmica tradicionalmente utilizada para o transporte de água com a adição de um buraco na barriga, fabricado com argila ou esculpido em pedra. Era tocado por mulheres nas cerimónias especiais.
O instrumento é tocado com as mãos e produz um som grave com um registo de certa forma peculiar ao ser golpeado rapidamente no bucal superior, embora também se possa tocar em todo o corpo do instrumento com os dedos.
Actualmente é muito utilizado por percussionistas de diferentes estilos musicais.

Coloquei em imagens..e vi a peça. Uma moringa com um recorte circular ao meio.
Vi pela primeira vez um UDU.

Eu tenho um grande defeito: quando o assunto me interessa eu presto muita atenção, mas quando o asunto não me interessa eu não dou atenção aos detalhes.
Talvez até eu ja tivesse visto, mas ...enfim..

Resolvi confeccionar a peça. Como não sou muito hábil no torno, pedi ao meu professor de ceramica que me ajudasse na confeccção da peça.

Até aqui..td bem. Fizemos a peça..e deixamos para que eu fizesse o recorte na aula seguinte.

Aos domingos, muitas vezes eu vou assistir palestras no Brahma Kumaris. Brahma Kumaris é uma escola de meditação e espiritualidade. Naquele dia, no Brahma, o tema era PAZ, e no final da palestra haveria uma apresentação.

A minha surpresa foi, ver o percursionista, o Clóvis tocando este instrumento. Eu não acreditei.
Até uma semana atras eu nunca tinha ouvido sequer a palavra UDU, e ele estava a li..aos meus olhos e aos meus ouvidos.

Terminada a apresentação eu fui até ele, o Clovis., e perguntei..como chama-se este instrumento? ele disse..UDU, porque? com um sorriso nos lábios.

Eu expliquei que era ceramista e que estava confeccionando um. O olho dele brilhou. Não me disse nada. Eu,sem pensar disse: vou da-lo de presente a você. Ele nem acreditou.

Peguei o celular dele e quando ficou pronto avisei e deixei a peça lá mesmo, no Brahma Kumaris para que ele a retirasse..

No domingo seguinte, no final da palestra, ouve outra apresentação.

E a minha feliz surpresa foi ver e ouvir o Clóvis tocando o instrumento.

Para mim, o Brahma Kumaris tem todo um significado de coisa boa. Saber que de uma peça que eu fiz, dela saiu uma musica, e com todas aquelas pessoas felizes assitindo..me deu uma alegria tão grande, que confesso que chorei.

Me emocionei muito.

Algo que eu fiz, proporcionando alegria a alguém..musica.

Até hoje eu não sei se realmente ele utiliza a peça em suas apresentações ou se foi generoso comigo, tocando aquele instrumento, naquele dia.

Mas não importa..o que importa foi a sensação de felicidade que ficou em meu coração.

Este é o selo comemorativo a conquista dos meus 100 seguidores. Esta a disposição de todos que ainda não o levaram e queiram. Sintam-se a vontade.



Ma Ferreira