QUEM SOU

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
MA FERREIRA, mulher, mãe, esposa, pedagoga por formaçao, ceramista de coração. Amante da vida e das artes. Acredito que somos a mudança que queremos no mundo. Sou uma pessoa que acredita nas pessoas e na construção de um mundo melhor. Acredito que cada pessoa está onde deveria estar. Acredito que estamos na terra para evoluir. Acredito que o ser é muito melhor que o ter. Acredito numa força divina. DEUS!!!

Seguidores

BLOGS QUE PARTICIPO

  • www.mdfbf.blogspot.com
  • www.ceramicaconteporaneabrasileira.blogspot.com
  • contato: mdfbf@uol.com.br

quarta-feira, 6 de julho de 2011

O HOMEM E O CARA: PICASSO!


Peça em Cerâmica Branca. Desenho baseado em obra de Picasso. Queimei em baixa temperatura. 980 graus.



Hoje eu estava triste. Me senti magoada. Me deixei magoar.

Quando fico assim, não é a cabeça que dói, nem os músculos. É um nó na garganta e um aperto no coração.

Com certeza TPM. Ela potencializa sensações.

Mas bastou eu chegar na Olaria, e ver esta peça, quentinha como se fosse um pãozinho que tivesse acabado de sair no forno, me recuperei.

Voltei a ser EU. Bye bye tristeza.

Vamos falar de alegria. Alegria foi conhecer a Cissa. ANA CECÍLIA ROMEU.
Uma nova seguidora, amiga.
Uma empatia. Fui ao blog de Cissa, como é carinhosamente chamada e fiquei lá por algum tempo.
Li várias de suas cronicas e já me candidatei a ser a chefe do seu fã clube.

Nas poucas mensagens que trocamos, pedi a ela que me autorizasse a qualquer dia desses fazer uma postagem de uma de suas crônicas. Ela brincando me sugeriu: O HOMEM E O CARA.

EU PENSEI..MAS NÃO DISSE.. PUTZ.. COMO VOU FAZER ESTA COMBINAÇÃO

Voltando...
Na hora em que vi o resultado da queima da minha peça, me veio na cabeça. Encontrei o cara. Encontrei o homem: Picasso.

Li a pouco tempo o Livro Na Cama com Picasso. ( Carlos Von Schimidt, autor ). Fala um pouco da vida intima de Picasso. De suas mulheres ( muitas, de seus amores.). Picasso me salvou. rs


Abaixo a crônica que me encantou, de Ana Cecilia Romeu.


O Homem e o Cara


O Homem é o sujeito, o Cara é um sujeito.
O Cara é só um cara, um sujeito muito bom em matemática faz contas todo tempo: no almoço, dois pratos; na festa, oito copos; na semana, três mulheres. E ainda muito organizado, anota tudo e coloca etiqueta em todas.
Para o Cara, a mulher é a “princesa”, “linda”, “deusa” e uma gama de adjetivos pouco criativos que podem ser usados para qualquer uma. Mas o Homem a chama primeiro pelo nome, e pergunta sempre: “como você está?” Nunca fala de si antes.
Mas se você perguntar isso para o Cara, ou mesmo que pergunta nenhuma faça, é melhor sentar, sairão dele boletins falados de início-meio-fim, onde o fim de um assunto já emenda no início de outro, com diversos “eu” em única oração, e jamais perguntará a sua ouvinte sobre ela. Caso a moça queira insistir em lhe contar alguma coisa, o Cara vai apertar os lábios como quem diz: “mulher fala demais”.
Incrível como a quantidade de Caras é muito maior que a de Homens. Isso pode ter uma explicação nos primórdios da civilização, quando grupos de Homens defendiam a si e sua prole em verdadeiras lutas contra imensos dinossauros; enquanto os Caras fugiam rapidamente para a caverna dos Caras: local privado onde desenhavam nas paredes as “grandes conquistas” e preservavam suas vidas. É provável que a invenção da roda tenha surgido da necessidade dos Caras em chegar mais rápido a esse refúgio. Até porque, Caras são ótimos inventores.
Mas existem semelhanças. Tanto Homens como Caras ficam por segundos quietos se ao verem a mulher, ela lhes pareça bela. Acontece algo numa parte do cérebro que lhes tira a voz.
Depois do primeiro encontro, não só o Cara, mas também o Homem desaparece por alguns dias. É normal, ele precisa de um tempo. Mas para o Cara, o tempo é precioso, e o que nem iniciou, já acabou.
Tanto Homem como Cara não querem mulher que crie confusão por nada. Mas o Homem vai ter mais tolerância e aguentar essa inquieta dança dos hormônios femininos.
Se você leu até aqui, parabéns! Sérias chances de ser Homem, porque o Cara nunca passa do primeiro parágrafo.
Cara não gosta de incomodação só procura coisas e mulheres possíveis, e não são poucas para ele.
Mas para o Homem, mesmo que ter a mulher pareça quase impossível, ele fará tudo para torná-la próxima - com paciência, estudando os passos - se sentir por ela uma Coisa que não saiba explicar, e ao teorizar sobre essa Coisa, tudo pareça não ter lógica alguma.
Sim, ele vai tentar, porque reconheceu nessa mulher a Coisa que a torna tão exclusiva. O que o faz acreditar, desacreditando; explorar, sem navegar; sonhar, sem dormir; desvendar, sem que haja mistério; lutar, sem guerra alguma. O que o faz ser um Homem de Verdade.

Ana Cecília Romeu
Blog: Humoremconto
http://anaceciliaromeu.blogspot.com

Meu carinho, minha admiração...

Por Ma Ferreira


PS: HOJE QUINTA FEIRA, ESTOU NO http://tessiturapoetica.blogspot.com/2011/07/fonte-da-vida.html
Vamos prestigiar o Tessitura?