QUEM SOU

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
MA FERREIRA, mulher, mãe, esposa, pedagoga por formaçao, ceramista de coração. Amante da vida e das artes. Acredito que somos a mudança que queremos no mundo. Sou uma pessoa que acredita nas pessoas e na construção de um mundo melhor. Acredito que cada pessoa está onde deveria estar. Acredito que estamos na terra para evoluir. Acredito que o ser é muito melhor que o ter. Acredito numa força divina. DEUS!!!

Seguidores

BLOGS QUE PARTICIPO

  • www.mdfbf.blogspot.com
  • www.ceramicaconteporaneabrasileira.blogspot.com
  • contato: mdfbf@uol.com.br

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

FELIZ!!!!!!!!


Obra torneada em argila creme, esmaltada e queima a 980 graus. Ma Ferreira

Estou muito feliz em compartilhar esta notícia com vocês, meus amigos.
Eu e um  grupo de artistas brasileiros e de outros paises, estamos participando  da Muestra de Arte Contemporáneo Ab'origine, que está sendo realizada  no Museo Provincial de Bellas Artes Juan Yapari, na cidade de Misiones - Argentina, até o dia 22 fevereiro 2012. Curadoria Silvia Virginia Jordán e Glaydes N. Montenegro.
Algumas imagens da exposição com seus respectivos artistas poderão ser vistos:http://www.facebook.com/media/set/?set=o.258300870891935&type=1

Quero deixar aqui registrado o meu agradecimento a todos os envolvidos, principalmente a Silvia Virginia Jordán pelo seu esforço em me ajudar e orientar nos tramites  para que minha peça chegasse a tempo de participar da exposição.

"Um quadro só vive para quem o olha."
Pablo Picasso

Por Ma Ferreira





sábado, 21 de janeiro de 2012

PICASSO E A CERÂMICA.

                   
Realizei este trabalho em pintura em prato cerâmico, torneado em argila creme. Queimei a 980graus. Releitura de Obra de Picasso.Ma  Ferreira

Eu já comentei aqui no blog que o meu contato com a arte aconteceu a mais ou menos uns cinco anos.
Picasso sempre foi um de meus artistas preferidos. Pela sua arte, pela sua história.
Aqui eu procurei colocar um pouco da vida de Picasso dando enfâse na cerâmica.


O artista espanhol Pablo Picasso (25/10/1881-8/4/1973) destacou-se em diversas áreas das artes plásticas: pintura, escultura, artes gráficas e cerâmica. Picasso é considerado um dos mais importantes artistas plásticos do século XX.


Pìcasso e a Cerâmica

Picasso, pintor-gravador apaixonado, recorta, marca e escava a superfície lisa do barro ainda mole das peças que decora: estas são as peças de cerâmica originais, peças únicas, saídas da mão do artista. Mas isso não lhe basta, ele quer ser um ceramista-gravador de facto, obtendo tiragens múltiplas. Estes são os moldes originais, realizados entre 1949 e 1971, que constituem a obra de cerâmica gravada de Picasso e que seguem os mesmos critérios de autenticidade das suas obras feitas sobre papel, mas com a particularidade do relevo. Com efeito, o desenho ganha volume e a forma de incisão é obtida directamente, com os seus ângulos agudos ou arredondados. A cerâmica permite jogar com a espessura. Picasso grava uma matriz em gesso servindo-se de goivas, estiletes, buris, punções, moletas, roletes mas também pontas de madeira, cartão corrugado, rede de arame e pedaços de pano, que gravam um molde nos seus moldes. Após a secagem, aplica-se um lastro, uma folha de pasta cerâmica especial com um teor higrométrico rigorosamente determinado. É preciso condensar de forma muito delicada, para que todas as incisões da matriz fiquem impressas na superfície do lastro e depois descolá-lo, para que a gravura apareça ‘em negativo’ e a estria se torne relevo. Dá-se uma inversão, como numa impressão em papel. Para obter uma réplica idêntica ao original é necessário passar por uma contra-matriz, o que é excepcional. Esta técnica de impressão, a partir de uma matriz em gesso, permitiu a Picasso produzir efeitos inéditos, impossíveis de obter directamente a partir do barro. Esta multiplicação de um mesmo tema permite a Picasso deleitar-se nos trabalhos em séries, de que ele tanto gosta, fazendo variar as cores. E aí, o jogo dos engobos, dos óxidos metálicos, dos vidrados ou das pátinas põe em evidência a importância da cor, do brilhante e do fosco, nas metamorfoses de um mesmo tema.
fonte: http://www.artmuseum.gov.mo - Picasso e a cerâmica
Marie-Noëlle Delorme


Por Ma Ferreira


DEIXO AQUI O CONVITE PARA  CONHECEREM O MEU SITE:

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O HOMEM E O CARA - PICASSO


Trabalho de pintura executado em superfície cerâmica, queimado a 980 graus, por Ma Ferreira.

Esta é uma re-postagem de julho/2011.
Confesso que é uma das minhas preferidas.

Vamos a ela:


PS:NÃO ESTOU TRISTE, E A MÁGOA FOI-SE COM O VENTO.


Hoje eu estava triste. Me senti magoada. Me deixei magoar.

Quando fico assim, não é a cabeça que dói, nem os músculos. É um nó na garganta e um aperto no coração.

Com certeza TPM. Ela potencializa sensações.

Mas bastou que eu chegasse  na Olaria, e visse esta peça, quentinha como se fosse um pãozinho que tivesse saidor do forno, imediatamente me recuperei.

Voltei a ser EU. Bye bye tristeza.

Vamos falar de alegria. Alegria foi conhecer a Cissa. ANA CECÍLIA ROMEU.
Uma nova seguidora, amiga.
Uma empatia. Fui ao blog de Cissa, como é carinhosamente chamada e fiquei lá por algum tempo.
Li várias de suas cronicas e já me candidatei a ser a chefe do seu fã clube.

Nas poucas mensagens que trocamos, pedi a ela que me autorizasse a qualquer dia desses fazer uma postagem de uma de suas crônicas. Ela brincando me sugeriu: O HOMEM E O CARA.

EU PENSEI..MAS NÃO DISSE.. PUTZ...... E AGORA? REPRESENTAR O HOMEM E O CARA DENTRO DA MINHA ARTE.

Voltando...
Na hora em que vi o resultado da queima da minha peça, me veio a cabeça: . Encontrei o HOMEM: Picasso.Encontrei "O CARA"

Li a pouco tempo o Livro Na Cama com Picasso. ( Carlos Von Schimidt, autor ). Fala um pouco da vida intima de Picasso. De suas mulheres ( muitas, de seus amores.). Picasso me salvou. rs


Abaixo a crônica que me encantou, de Ana Cecilia Romeu.


O Homem e o Cara


O Homem é o sujeito, o Cara é um sujeito.
O Cara é só um cara, um sujeito muito bom em matemática faz contas todo tempo: no almoço, dois pratos; na festa, oito copos; na semana, três mulheres. E ainda muito organizado, anota tudo e coloca etiqueta em todas.
Para o Cara, a mulher é a “princesa”, “linda”, “deusa” e uma gama de adjetivos pouco criativos que podem ser usados para qualquer uma. Mas o Homem a chama primeiro pelo nome, e pergunta sempre: “como você está?” Nunca fala de si antes.
Mas se você perguntar isso para o Cara, ou mesmo que pergunta nenhuma faça, é melhor sentar, sairão dele boletins falados de início-meio-fim, onde o fim de um assunto já emenda no início de outro, com diversos “eu” em única oração, e jamais perguntará a sua ouvinte sobre ela. Caso a moça queira insistir em lhe contar alguma coisa, o Cara vai apertar os lábios como quem diz: “mulher fala demais”.
Incrível como a quantidade de Caras é muito maior que a de Homens. Isso pode ter uma explicação nos primórdios da civilização, quando grupos de Homens defendiam a si e sua prole em verdadeiras lutas contra imensos dinossauros; enquanto os Caras fugiam rapidamente para a caverna dos Caras: local privado onde desenhavam nas paredes as “grandes conquistas” e preservavam suas vidas. É provável que a invenção da roda tenha surgido da necessidade dos Caras em chegar mais rápido a esse refúgio. Até porque, Caras são ótimos inventores.
Mas existem semelhanças. Tanto Homens como Caras ficam por segundos quietos se ao verem a mulher, ela lhes pareça bela. Acontece algo numa parte do cérebro que lhes tira a voz.
Depois do primeiro encontro, não só o Cara, mas também o Homem desaparece por alguns dias. É normal, ele precisa de um tempo. Mas para o Cara, o tempo é precioso, e o que nem iniciou, já acabou.
Tanto Homem como Cara não querem mulher que crie confusão por nada. Mas o Homem vai ter mais tolerância e aguentar essa inquieta dança dos hormônios femininos.
Se você leu até aqui, parabéns! Sérias chances de ser Homem, porque o Cara nunca passa do primeiro parágrafo.
Cara não gosta de incomodação só procura coisas e mulheres possíveis, e não são poucas para ele.
Mas para o Homem, mesmo que ter a mulher pareça quase impossível, ele fará tudo para torná-la próxima - com paciência, estudando os passos - se sentir por ela uma Coisa que não saiba explicar, e ao teorizar sobre essa Coisa, tudo pareça não ter lógica alguma.
Sim, ele vai tentar, porque reconheceu nessa mulher a Coisa que a torna tão exclusiva. O que o faz acreditar, desacreditando; explorar, sem navegar; sonhar, sem dormir; desvendar, sem que haja mistério; lutar, sem guerra alguma. O que o faz ser um Homem de Verdade.

Ana Cecília Romeu
Blog: Humoremconto
http://anaceciliaromeu.blogspot.com/

Meu carinho, minha admiração e amizade!!

Por Ma Ferreira


PS. AGORA EU TENHO UM SITE EBBA!!!!! AGUARDO A VISITA DE VOCÊS POR LÁ!
http://www.maferreiraceramica.com.br/

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

DESAFIO

TRABALHO DE ESMALTAÇÃO EM VASO CERAMICO. QUEIMA A 980 GRAUS. EXECUTADO POR MA FERREIRA.

O que já fiz não me interessa. Só penso no que ainda não fiz.
Pablo Picasso

EU DIGO: O QUE JA FIZ, ME TROUXE ATÉ AQUI...E  QUE NÃO FIZ...FAREI.......

Por Ma Ferreira

AMIGOS, CONVIDO-OS A VISITAR O MEU SITE http://www.maferreiraceramica.com.br/

Aproveitam para conhecer o site www.brazilianarte.com.br, o qual faço parte. Espero vocês por lá!!!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

MANDALA TERRA


 Executei este trabalho em placa de argila terracota e engobe. Queimei em baixa temperatura. 980 graus,



Sertão, argúem te cantô,
Eu sempre tenho cantado
E ainda cantando tô,
Pruquê, meu torrão amado,
Munto te prezo, te quero
E vejo qui os teus mistéro
Ninguém sabe decifrá.
A tua beleza é tanta,
Qui o poeta canta, canta,
E inda fica o qui cantá.

(De EU E O SERTÃO - Cante lá que eu canto Cá - Filosofia de um trovador nordestino - Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)
Patativa do Assaré
Por Ma Ferreira

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

UM, DOIS, TRÊS!!


                           Executei este trabalho em placas de argila creme. Queimei em alta temperatura, 1.180 graus.


Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um.
Fernando Pessoa
Por Ma Ferreira

domingo, 1 de janeiro de 2012

TOPÁZIO

                                                                          clique na imagem para vê-la ampliada
                                  Executei esta obra em placa de argila creme, queimei em baiza temperatura, 980 graus.


Descobre, desvenda.
Há sempre mais por trás.
Que não te baste nunca uma aparência do real.
Caio F. Abreu

Por Ma Ferreira